Caminhos tortos

Caminhos tortos (Foto: Pepe Mélega)

A foto acima foi feita no MOMA (Museum of Modern Art) obra de Martin Puryear em 2008, no segundo dia do ano – visita para passar o dia por lá. Um dia para olhar, pensar, reciclar e inspirar com toda a liberdade que é dada a qualquer visitante que respeita as regras estabelecidas. Fotografo, sento, olho, ando, toco tudo que é possível, se não há um aviso que pede para não se fotografar e ou tocar – o primeiro quase inexistente nesse visita. Curto, aprecio, ando, anoto e fotografo como todos que curtem arte e ou processos de criação. Afirmo que é uma DELICIA poder passar o dia no MOMA.

São Paulo, um museu, menos de uma hora de visita interrompida, truculentamente sou impedido de fotografar sem ter um aviso em algum lugar que isso é proibido, sento e pego meu bloco de anotação e sou novamente abordado de que não posso fazer nenhum esboço, continuo anotando o que me interessa sem fazer esboços e sou abordado por dois seguranças que pedem para que me retire já me segurando pelo braço e tentando me conduzir a saída, questiono o por que da atitude e em tom áspero recebo a resposta: Estamos evitando o planejamento de um roubo! Fiquei sem ação, sem saber o que falar ou fazer, indignado por que a ação de marginais tiram de mim um cidadão comum que paga seus imposto e que procura coexistir dentro de uma sociedade seguindo suas normas é impedido de agregar mais cultura em um universo que me agrada. Como é possível atitudes como essa, como é possível não termos mais direitos em função da falta de segurança que uma sociedade organizada teria que nos garantir.

Abraços

Anúncios

~ por Pepe Mélega em 11/08/2012.

5 Respostas to “Caminhos tortos”

  1. Pepe,no minimo eu diria que o que você narrou e surreal,claro que os menos culpados nesse episodio sao os segurancas,e voltando um pouco no tempo,na nossa lista houve citacoes de proibicao de fotografar em parques publicos,sob qual alegacao nao sei,ou para citar um caso aqui no meu ABC,Paranapiacaba e a despeito de todo cerseamento e dificuldade de acesso a cultura e as artes,continuamos produzindo,Portinari,Anita Malfatti,Romero Brito e na nossa area Vick Muniz,So temos a agradecer a visao que tem quem administra nossa cultura

    • Ricardo é difícil saber de quem é a culpa – mas no final é a administração que causa esse “embrolho”, contratam segurança tercerizada e não instruem o que pode e como deve ser as coisas e sim só cobram e ameaçam para que não se perca o patrimônio – que se não é visto nada vale. Abs

  2. Pepe,

    Eu já tenho a menor vontade de fotografar nada no Brasil, simplesmente nem há o que discutir com este tipo de atitude, beira ao ‘lodo’ … Ainda faço natureza porque ainda dá…. mas não sei até quando. Você conhece mais do eu e já andou muito mais, minha ultima viagem de 6000 km pelos EUA, jamais fui abordado em mais de 6 parques nacionais, tudo pode e por sinal fazem questão que vc fotografe, afinal quanto melhor fica e mais pessoas vão ver.. mas turistas voltam.. é o ciclo..
    Aqui é o contrario… na ultima semana fui ao JB, chega a ser ridiculo, pediram para preencher um papel que não vou vender as fotos, só rindo mesmo, até parece que amanhã alguem terá como dizer que ou me processar porque fiz fotos no JB e estou vendendo… só rindo mesmo. E o pior ninguem confere nada, se colocar qualquer nome, numero de cpf, rg… ninguem confere… Ao mesmo tempo que é irritante é uma bagunça coisa sem organização, simplesmente porque algum ‘imbecil’ chegou na direção e falou… este pessoal fotografa aqui e ganha dinheiro com isso….
    Brasil é lamentável e triste…

  3. Pepe, já visitei vários museus nesse planeta e em sua maioria é permitido fotografar (sem flash) e em alguns vi até estudantes sentados com seus blocos de papel desenhando. O ultimo que visitei (05/2012) foi o Hermitage, onde tirei varias fotos de quadros famosos. Há um aviso na parede de salas onde não é permitido fotografar mais nunca vi nada com relação a escrever ou desenhar.
    Aqui tudo é diferente, além dos seguranças não preparados para lidar com o publico, sofremos proibições absurdas e passamos por situações como essa que você escreveu.
    Infelizmente nosso país esta numa boa situação econômica mais ainda muito mal na EDUCAÇÃO. Espero que os futuros governantes coloquem a EDUCAÇÃO e SAÚDE como prioridade de investimentos de todo esse PIB que estamos gerando porque, somente assim, você não passara por essa situação novamente. Abraço JOsé Senna

  4. Como já sugeri, cabe um artigo a ser publicado no New York Times e no Economist mostrando a caca que corre aqui e alertando aos possíveis turistas como se portam os museus aqui na nossa repúbliqueta de bananas. Quem sabe alguém lá na caverna do ali babá em brasilia acorda e faz alguma coisa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: