Por que eu fotógrafo?

Vendo como meu pássaro (minha fotografia) vôa (Foto: Pepe Mélega)

Porque aprendi a gostar de faze-lo, houve uma identificação natural, uma forma de expressar – no inicio, o que queria. Com o tempo virou forma de ganhar dinheiro, me sustentar no oficio, como fotojornalista, um prestador de serviço como tantos outros que atuam em outras áreas. Mais tempo se passou e me tornei um documentarista, passei a fotografar o que gostaria de descrever em minhas viagens, nesse momento fui apreendendo que há uma fotografia mais técnica e uma mais poética, uma paga contas outra se guarda como uma ideia que em algum momento pode se concluir e virar algo mais, é onde surge exposições, coleções decorativas (como produto), livros que podem falar algo de alguma coisa e um pouco ou muito de mim e pode ser que faça algumas fotos que se tornem alguma coisa mais. É engraçado como querem atualmente pular para o topo da cadeia artística usando a linguagem fotográfica, é tão além de minha compreensão as terminologias e verbetes adotados pelos curadores da arte fotográfica contemporânea ao explicar uma imagem que muitas vezes se explica por sí só.

MIS – 19/05/2012 mesa com grandes nomes (Foto: Pepe Mélega)

É lógico que temos nossos conflitos e a mim é lógico que interfere em como nos comunicamos com o mundo externo em virtude desses, então é lógico trabalhos terem várias fases em seu formato. Há aqueles que sabem exatamente o que querem de sua fotografia – esses são constantes, nota-se na produção o que querem expor aos observadores não importando os conflitos internos. E há aqueles que aparecem e desaparecem na mesma velocidade que querem impor seu trabalho goela abaixo dos observadores apoiados em uma máquina formadora de opinião. Pensei muito nas resposta que obtive de um questão que fiz aqui no Blog no mês de março/2012, pensei muito no que ouvi da mesa de curadores ocorrida ontem no MIS (19/05/2012) e aprendi mais um pouco nessa longa escalada em procurar respostas no aprendizado da arte de fotografar.

O por que fotografo? Por que amo o que faço e sei faze-lo de forma adequada que me sustenta nessa atividade. Fotografo para os outros, mas também fotografo para mim e de forma a me agradar – essa é a minha forma ao fotografar. Afinal sou fotógrafo por paixão e necessidade. Esse é o vôo do meu pássaro. Abraços

Anúncios

~ por Pepe Mélega em 20/05/2012.

4 Respostas to “Por que eu fotógrafo?”

  1. Belo post! Já disse e repito: sou fã desse cara! Parabéns, Pepito!

  2. Oi Pepe gosto muito de ler os seus posts, me identifico muito com sua maneira de ver as “coisas” da fotografia sem essa ânsia de ser artista e sim simplesmente fotógrafo.
    A fotografia não precisa justificativa nen rótulos, ela fala por sí só, seja um momento intimo seu que só voce consegue entender ou uma obra que todos apreciem, mesmo assim continua sendo a sua Fotografia e o seu modo de ver.
    Parabens

  3. Adoro seus posts e seu modo de fotografar, sua técnica sempre impecável e seu “romantismo” nas imagens.
    Bjo meu amigo.

  4. […] do seu cotidiano dentro e fora da fotografia, e me chamou atenção um artigo que se chamava “Por que eu fotógrafo?” e nele ele tentava explica esse […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: