Sou fotógrafo, sou um camaleão.

Semana que passou rolou um monte de post em Blogs se referindo ao fato de ser fotografo. Começou com o post do Clicio Barroso dia 22/04, ai o assunto após cometários derivou a postagem de Ivan de Almeida em seu Fotografia em palavras. Ai o Neto – diretor de arte e que a muito conhece a fotografia profissional como contratante escreve em seu Blog. Li e re-li cometários e os artigos por várias vezes e cheguei a uma conclusão: Por que as pessoas ficam preocupadas com a felicidade dos outros?

Sou um cameleão que se adapta a minha necessidade de fotografar (Foto: Pepe Mélega)

Sou fotógrafo, e sou profissional – vivo disso, vivo de fotografar. Fotografo por demanda, mas também para mim – para meus medos, meus sonhos, meus desejos, etc. Isso é ser um camaleão, é! Não há amarras, mas há roteiros, principalmente quando se fotografa por demanda. A fotografia descompromissada é bárbara, pois registra, faz o rascunho que até pode virar definitivo e ser chamado de arte (ou fine arte – tão na moda). Por isso sou um camaleão, pois amo fotografar e amo experimentar tudo em torno da fotografia como forma de expressão.

É isso, sem frescura.

Se vocês são acadêmicos, infelizes com as vossas produções então é mais fácil criticar o que os outros fazem? Tá virando moda no Brasil, não sou fotógrafo, mas critico por que acho que sei de fotografia – será? Estou vendo curadores serem endeusados e destruindo carreiras de bons iniciantes a fotógrafos e criando carreiras infames dos amigos fotógrafos. Por favor, né.

Há aqueles que acham que tudo pode, e pode mesmo, mas é preciso ser aceito e não enfiado goelá abaixo. Posso não gostar de algumas coisas que vejo por não bater com minhas convicções, mas dai achar ruim quando percebo uma estética, um conteúdo é ser contra tudo o que acredito em fotografia. Há espaço para muitos – estilos e pessoas, isso é fato. Há muitos que gostam do azul e outros do vermelho, assim como do amarelo. Logo há espaço para todos que se dedicam a fotografar do flickr as paredes do MoMa (como exemplo amplo), logo ache seu espaço e seja feliz ou melhor ainda. Deixe em paz quem já é feliz porque achou seu caminho e corra atrás do seu.

Abs

Anúncios

~ por Pepe Mélega em 25/04/2011.

22 Respostas to “Sou fotógrafo, sou um camaleão.”

  1. Olá, Pepe.

    Só gostaria de reafirmar que embora haja coincidência temporal, o artigo no Fotografia em Palavras não é absolutamente relacionado nem derivado do artigo do Clicio sobre Instagram. No máximo poderia atribuir a esse o efeito de catalizador. Minha opinião sobre o Instagram deixei como comentário no Blog do Clicio mesmo, como deve ser.

    Mas agradeço a citação, e o fato de você ter relacionado os assuntos mostra-me que há uma questão geral, mesmo essa questão não tendo ainda perfeita nitidez para todos nós.

    Abraços

    • Pode ser Ivan, mas a coincidência é enorme e fica mais evidente lendo seus comentários no post do Clicio. Mas compreendo e vejo seu lado também. Mas basta ser feliz com o que faz e deixar os outros serem felizes. Produção fotográfica tem muitas variáveis e não uma única. Não entendo todas, mas sei compreender quando há estética e conteúdo. Isso pode fazer a diferença. Obrigado pelo comentário, o meu post é consequência do que li no Clicio, em suas respostas a ele, ao que o Neto escreveu é ao seu post no Fotografia em palavras e muito do que sinto por onde caminha a fotografia atual, onde o discurso está querendo ser mais do que a imagem.. Abs

  2. ”Por que as pessoas ficam preocupadas com a felicidade dos outros?” Também me faço a mesma pergunta lendo os comentários no blog do Clicio…

  3. Pepe, está aí um texto que gostei. Toda crítica construtiva é e sempre será – ao meu ver – construtiva, mas em vários momentos percebemos o que parece ser um jogo de vaidades. É claro que as vaidades existem em todas as profissões, fazem parte de mercado onde até certo ponto é justificada. Os excessos é que em todas as situações desequilibram os setores.
    Gostei do que escrevestes, direto e coerente, simples assim!
    Uma ótima semana!!

  4. pepe,

    Obrigado pela citação e que bom que meu despretensioso artigo fez algumas pessoas refletirem, não?
    De qualquer forma concordo com sua linha de pensamento e parabéns pelo blog!

    Clicio

  5. Na bufa.
    Grande abraço.

  6. Neste domingo li todos os textos que vc citou, ficava olhando os comentário buscando como expressar uma opinião condizente com o que penso, mas acho que não teria resumido tão bem como o fez aqui.
    Infelizmente em nossa cultura a felicidade e o sucesso do outro incomodam, além disso muitos preferem motrar que estão certos a ser feliz… uma cultura pobre a nossa, talvez seja um resquicio de tempos onde havia espaço para poucos e estes poucos determinavam quem seria o próximo da fila, assim não são educados para um mundo civilizado e democratico no qual estamos agora.
    Abraços a todos!

  7. Oi Pepe é isso mesmo, a informação criou muitos criticos e “fotógrafos” que entendem muito de fotografia e nunca pegaram uma maquina na mão. A multi informação e essa sensação de impunidade e acobertamento atravez de um avatar criado para esse fim, colocam quase todos em pé de igualdade, conhecedores ou não.
    Então o filtro deve partir de nós como receptores dessa informação. O que te acrescenta algo seja critica ou elogio, vai depender da fonte ser fidedigna ou não.
    Abraços.
    Jorge Guill

  8. Isso mesmo Pepe, assino embaixo! Pronto!
    Li todos os artigos citados acima e digo, Ser Feliz é o que importa, sentir-se bem com a fotografia, só assim o universo conspira à favor e o caminho é encontrado!
    Abraço e uma ótima semana para vc!

  9. Fotografia é forma de expressão, é forma de comunicação, é arte… mas acima de tudo é o instante de um olhar. Indiferente a técnica, ao maquinário… Fotografe! Sempre. Se não serve para um, serve para outro, serve para você. Click clac Bum!
    Abr.
    Muito bom o post, muito bom o blog.

  10. Pepe,
    creio que vc foi muito corajoso em sua reflexão.
    concordo com vc…
    pq não deixar os outros serem felizes?
    para mim, criar rótulos é a pior coisa que existe no mundo!
    Os pensadores, críticos e estudiosos falam, falam, falam, mas fazem?
    Adorei seu desabafo!
    beijo
    Cacá

  11. Hehehe
    Concordo plenamente
    A galera tá tensa, ou infeliz com seus momentos, e tem muita gente se depenando em críticas e pauladas em coisas simples e leves, como “Foto por Diversão” foto, pelo simples exercício do olhar!!!
    360 abçs
    A

  12. Pepe,

    Com esse artigo, você aliviou um peso enorme das costas de uma categoria inteira de aprendizes fotográficos inquietos e ávidos pela busca da “verdade” ou da “Luz” como queiram, na qual evidentemente me incluo.

    É sempre importante lembrar que nossa fotografia somos nós, ao contrário do que tentam nos impor através de academicismos e outros “ismos” da vida.
    Posso até fotografar para agradar a fulano ou cicrano de vez em quando, desde que eles paguem meu cachê (mesmo assim meu estilo estará “assinando o material”.
    Mas o que eu produzo para mim mesmo, deve obrigatoriamente vir de mim mesmo, com minha bagagem emocional, intelectual e com meus anseios, medos, convicções e expectativas.

  13. Parabéns pelo artigo Pepe!,
    Lúcido e pertinente!

  14. Li outro dia um tweet que achei interessantíssimo e que pode ser aplicado neste caso:

    “Ser fotógrafo é isso, ser fotógrafo é aquilo…gente, que porra é essa? Vc só é fotógrafo e não o próximo messias!”

    Originalmente tweetado por @dofotografo.

    Abraços
    Elder

  15. Excelente desabafo e reflexão Pepe.
    Fotografar pelo simples prazer de fotografar.
    Grande abraço

  16. Pepe;
    Acho importante levantar esta discussão. A época do políticamente está enchendo o saco. Foi ótimo este desabafo.

  17. Olá Pepito!
    Também passei todos esses dias acompanhando esses artigos e seus respectivos comentários. Fiquei com a mesma sensação que você quando percebia as discussões fervorosas por um assunto tão simples e me perguntava: _ Pra quê tudo isso?
    Não é somente na fotografia, mas atualmente as pessoas se preocupam mais do que deviam com a vida alheia. Já olhou a sua volta? Todos querem dar opinião em tudo, mesmo que você não tenha solicitado.
    Esses dias a Marta (do Izan Petterle) mandou-me um lindo email parabenizando-me pela minha primeira exposição e terminou com a seguinte frase:
    ” Fotografar é colocar na mesma linha de mira, a cabeça, o olho e o coração”(Henri Cartier Bresson)
    Moral da história: não interessa o equipamento e sim o olho que está por trás dele.
    Beijos no seu coração, Lucia

  18. É iisso aí, Pepe. Assino embaixo.

  19. Pepe e outros …
    Olhem este link sobre esse mesmo assunto

    http://www.alphen.com.br/2011/04/25/o-instagram-e-o-guitar-hero/

    abçs
    A

  20. Olá Pepe fiquei fascinada com sua palestra e demonstrações.Parabéns, mas no meio daquela multidão não consegui pegar o nome e marca do dispositivo que vc usou no flash e na máquina para disparar o flash naquela distância.
    Deve ser um tipo de rádio flash.
    Eu tenho um Micro Sinc mas não atende minhas necessidades como tenho certeza que este que vc demonstrou irá me atender.
    Por favor me mande mais detalhes, marca modelo e aonde encontro por favor.
    Estou há pouco tempo fotografando , mas respiro e amo o que faço.
    Estou aguardando sua resposta.

    Obrigada e mais uma vez parabéns pela sua passagem pelo Wedding que foi super marcante.
    Abs
    Maria Tereza

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: