Fotografar é preciso!

Até o Frank pensa que sim! (Foto: Pepe Mélega)

Fotografar é preciso e está bastante comum a pratica como forma de hobby, por onde se anda tem alguém com uma câmera registrando algo. Tenho reparado que as fotos com gente fotografando que fazem parte de meu stock são mais comuns que antes – explico, há muito trabalho numa serie de imagens onde as pessoas estão fotografando e passou a ficar mais fácil captar os instantâneos. Além de mais gente as câmeras estão se sofisticando na mão desse meus “modelos”, antes eu era um alienígena com minha câmera reflex e uma lente diferenciada, agora me perco no meio da multidão cercado de câmeras por todos os lados.

Fotografar virou mania global que atrai ainda mais pela facilidade de publicar as imagens em mídias na internet. Clicio Barroso a tempo escreveu um artigo atualizado recentemente que vale a leitura. Dentro dessa produção global vão surgindo imagens para todos os segmentos e tem muita gente de olho nesse enorme banco crescente a uma velocidade muito alta. Há de tudo e de tudo há e há muita gente ganhando dinheiro com essas imagens sem nada retribuir em troca. As vezes sabemos quem é o autor, pois há o crédito junto a imagem. Fico feliz, puxa ao menos estão cumprindo a lei – sou otimista, sempre acredito, mas não demora muito descubro que o crédito (a obrigação) virou moeda! Sim moeda, forma de pagamento pelo uso de algo feito por você – onde houve custo para chegar ao local, houve custo para comprar a câmera, etc e você se sente todo super fotógrafo por que ao lado da imagem está seu nome. Vixi, você caiu nessa! Pense bem, publicar uma matéria de viagem é legal, um artigo técnico também e fazê-lo de forma gratuito é um direito seu. Mas cair nessa de vamos te dar o crédito na revista, na web e isso ira promove-lo é BALELA. Crédito não é moeda, é obrigação assegurada por lei. Não cai mais nessa! Trabalhar de graça é uma decisão sua, mas transformar o crédito autoral em moeda, NÃO. Pense nisso e não comprometa mais os profissionais que vivem da arte de fotografar.

Anúncios

~ por Pepe Mélega em 03/03/2010.

15 Respostas to “Fotografar é preciso!”

  1. Caro Pepe,

    Obrigado por lembrar o meu artigo.
    Realmente, trocar foto por crédito me parece uma boa forma de atirar no próprio pé…E sucatear o mercado no processo.
    As grandes marcas e agências de publicidade sabem disso; por este motivo é que “baixam” fotos do Flickr, não pagam o fotógrafo, e depois dizem que “não sabiam que precisavam pagar”, ou “mas a gente deu o crédito!”.
    Triste situação…
    😦

  2. Fala Pepe,
    Este post pode ser uma campanha, “O crédito não é moeda é direito respeite o fotógrafo”

    Um grande abraço.

    Claudio Fett

  3. Boa… Pepe… Post sensacional… um abraço…

  4. Seja benvindo de volta Pepe !!!
    Impressionante que quando falo e exijo o crédito nas minhas fotos, os próprios fotógrafos profissionais que alardeam pela moralidade na profissão dizem que vou me queimar no mercado, que a agencia é de “fulano” e que cobrar pega mal.
    Sei que não é o caso nem seu nem de Clício, ou da maioria dos associados Fototech, mas em Recife o que acontece é ainda o coronelismo na fotografia.

  5. Esse é um problema que está se tornando lentamente uma instituição. Está ficando comum empresas de grande porte, corporações, bons clientes para quem vive disso, formarem enormes bancos de imagem gratuitos, jogando a isca da VISIBILIDADE em concursos falasamente culturais, onde o amador é fisgado pela vaidade. Vide o “case” HSBC, recente.

  6. Pepe,

    Assim como “fotografar é preciso”, também é necessário que os fotógrafos desavisados aprendam a cobrar pelo serviço.

    Informações estimulantes e esclarecedoras como essas que o senhor, Clício, Vernaglia e outros tem disponibilizado em sites e blogs terão efeito orientador para a formação de muitos que encontram-se na situação do “preciso fotografar / para o pão de cada dia comprar / mas não sei por onde começar / pois não tenho idéia de como cobrar”.

    • Luciano e demais. É necessário cobrar se a atividade é profissional, mas primeiro deve ficar claro que “dar o crédito” não é pagar pela foto e sim cumprir a obrigação seguindo a lei autoral. Já é um grande feito se os jovens que adentram ao mercado entendam esse aspecto. Eu espero que sim, para o bem de toda a comunidade de fotógrafos, para que se evite o “uso e costume” transformando algo que temos direito em moeda de troca. Abs

  7. ‘NÃO ME PEÇA DE GRAÇA A ÚNICA COISA TENHO PRÁ VENDER’.
    frase da grande cacilda becker, que vivo a repetir.

  8. Até celebridades nanicas tentam trocar o pagamento pelo crédito disfarçando isso com uma frase idiota do tipo: “Posso te recomendar para outras pessoas”. Isso é pífio. A melhor recomendação é a qualidade do seu trabalho!

  9. Ontem eu escrevi para um Cliente (?) que me dizia o seguinte o no email:
    – Se vc tiver boa vontade conosco que somos uma pequena empresa, poderíamos utilizar suas fotos no nosso site e citar seu nome

    RESPONDI:

    – Não me peça para DAR, por mais boa vontade do Mundo, o pão que alimenta a boca dos meus filhos, assim como jamis, tenho certeza, daria o da sua pequena empresa. Sou um prqueno fotógrafo tentando viver do meu trabalho. Citar o nome de autores é LEI FEDERAL. Pagar pela foto já não é uma obrigação, mas ficarei bem feliz. 360 abçs
    AYRTON

  10. Oi Pepe,
    Em primeiro lugar, seja bem vindo! Já aderí à campanha e inserí a frase nas minhas assinaturas. Muita saúde para você!!!
    Abraços,

  11. Grande Pepe!!!

    Escrevendo novamente, isso me deixa muito feliz!!!! =)))

    Quanto ao seu texto: Escrito e dito.

  12. Precisas suas palavras Pepe. Eu mesmo nos tempos de amador me recusava a ceder fotos para revistas que “estavam começando” e “iam ATÉ me dar os créditos pelas fotos”.

    Acho isso um abuso total. Se quiser foto minha, que pague por elas.

    Abraço

  13. […] por me provocar uma espécie de comichão. Um deles, de forma mais suave, é o do fotógrafo Pepe Melega que conta que seu arquivo de fotos de pessoas fotografando tem aumentado consideravelmente – […]

  14. ô hómi, cê num devia ta descansando?!
    Vc e o Clício, estão cutucando feridas de fotógrafos, heim! rsrsrs
    Infelizmente um número sem fim de desavisados caem nesta conversa.
    Mas o que mais me entristece é o fato de não podermos mais acreditar no ser humano. Pois aqueles que usam deste argumento, o fazem para tirar vantagem do próximo….
    bons dias,
    beijos,
    Taty

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: